Blog do Coração


[caption id="attachment_545" align="alignleft" width="250"] *Ibraim Masciarelli Pinto é cardiologista e presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP).
*Ibraim Masciarelli Pinto é cardiologista e presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP).[/caption]

*Ibraim Masciarelli Pinto


Este ano, o tema do Dia Mundial da Saúde (7 de abril) é o diabetes, que atinge 250 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo cerca de 12 milhões no Brasil. Grande parte dessas pessoas não sabe que têm a doença, que, no início, não apresenta sintomas, afetando paulatinamente o organismo e provocando outros problemas de saúde, muitos deles de ordem cardiovascular. Por isso, é muito importante a realização periódica de exames de sangue, pelo menos uma vez ao ano, para diagnóstico e tratamento correto, especialmente em quem tem história familiar de diabetes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, a cada ano, sete milhões de indivíduos tornam-se diabéticos. A doença, que se caracteriza pelo excesso de açúcar no sangue, pela diminuição da produção ou por resistência ao efeito da insulina (hormônio responsável pelo metabolismo da glicose no organismo), manifesta-se no Tipo 1 ou Tipo 2. O primeiro é congênito, um problema autoimune, que aparece, na maior parte das vezes, até os 35 anos de idade. A boa notícia é que o segundo, mais prevalente, pois é a variedade da doença que atinge 90% dos pacientes, pode ser evitado.

A prevenção depende do esforço de cada indivíduo, alinhado-se aliás, com os objetivos do Dia Mundial da Saúde, que visa disseminar a consciência de todos quanto à importância da qualidade da vida, bem-estar e cuidados com o organismo com vistas a uma existência saudável. Para evitar o diabetes do tipo 2, é muito importante seguir as seguintes recomendações: alimentação correta e equilibrada, sem excesso de açúcar, álcool e gorduras; controle do peso, pois a obesidade é uma das causas do diabetes; não fumar ou consumir drogas ilícitas; e combate ao sedentarismo, com uma rotina de caminhadas ou exercícios estabelecida com orientação médica.

Pessoas com histórico familiar de diabetes devem ter cuidado redobrado, pois a predisposição genética é um fator de risco a mais para aqueles que não tomam os cuidados preventivos essenciais para evitar a doença. Independentemente dos hábitos cotidianos e dos antecedentes da família, é sempre recomendável o exame de sangue periódico para o diagnóstico, que, quanto mais cedo for feito, melhores condições de tratamento propiciará. O diabetes pode provocar doenças cardíacas, renais e nervosas, cegueira, impotência sexual e, em fases mais avançadas, até mesmo levar à amputação de pernas e braços.

O Dia Mundial da Saúde, instituído em 1948, é promovido pela OMS é alusivo à data de criação dessa entidade internacional. Seu conceito é o de que “a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. É verdade que está difícil atender a todos esses requisitos no Brasil conturbado e permeado por uma das mais graves crises político-econômicas de sua história.

Contudo, independentemente do cenário nacional, precisamos fazer o que nos compete em favor de nossa própria saúde, adotando hábitos saudáveis e uma atitude de valorização da vida, decisivos para cada um de nós e as pessoas que amamos! A saúde nossa de cada dia, e não apenas em 7 de abril, é um milagre possível, que podemos alcançar com determinação e consciência!

*Ibraim Masciarelli Pinto é cardiologista e presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP).