Blog do Coração


A 7ª edição dos Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município, mostra que nos últimos três anos, os habitantes estão praticando atividades físicas com frequência


A 7ª edição dos Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município, mostra que nos últimos três anos, os habitantes estão praticando atividades físicas com frequência. Parte disso, resulta da implantação de parques e áreas de lazer na cidade de São Paulo. A cidade possui mais de 100 parques municipais (com equipamentos de ginásticas e quadras poliesportivas) e 320 quilômetros de ciclovias. Esses espaços são incentivos para largar o sedentarismo e auxiliam na saúde do coração, explica Dr. Agnaldo Pispico, cardiologista e diretor da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP). “

“As pessoas que praticam atividade física regularmente tem redução do risco cardiovascular. As vantagens estão relacionadas a redução do colesterol e dos níveis de glicemia, pois quando praticamos exercício aumentamos o nosso metabolismo e queimamos "gordura" e ganhamos massa magra (músculos), contribuindo para diminuição da pressão arterial e do stress através de liberação de hormônios como a endorfina, que causam um bem-estar durante e após o exercício. Tudo isto junto justifica colocar a atividade física como item número um da agenda e não dar a famosa desculpa de não ter tempo para exercícios”, adverte o especialista.

Segundo o médico, essa mudança de hábito auxilia na prevenção de doenças do coração. “Dieta saudável e atividade física regular são investimentos importantes para viver mais e chegar a velhice com saúde não só do coração, mas também com vitalidade muscular para aproveitar a longevidade que estamos atingindo com qualidade”.

Porém, é preciso alguns cuidados antes de iniciar atividades por conta própria, alerta Natan Silva, educador físico e diretor científico do Departamento de Educação Física da SOCESP. “A melhor maneira para não colocar a saúde em risco é começar a se exercitar de forma leve. Sempre que possível, realizar um check-up cardiológico antes de iniciar as atividades, principalmente se a pessoa têm mais de 35 anos. Além disso, é importante ter cuidado com o sol. O ideal é que o indivíduo procure se exercitar no início da manhã ou final da tarde”.

Ao falar da frequência que os exercícios devem ser realizados, o especialista ressalta que as pessoas que não estão acostumadas a praticar exercícios devem começar devagar, alternando os dias, totalizando no máximo três vezes por semana. “Com o passar do tempo, a frequência pode ser aumentada para 4-5 vezes por semana, lembrando que para se obter maiores desempenhos a atividade física deve totalizar pelo menos 30 minutos por dia” – afirma.