Blog do Coração


O fumo é mais maléfico para a mulher, porque seu organismo metaboliza de forma lenta os componentes do cigarro. O público feminino tem algumas características que complicam a situação: as mulheres demoram mais a procurar um médico quando se sentem mal.

Muitas subestimam seus sintomas, uma vez que o infarto da mulher não se caracteriza por dor no peito, como é sentido pelo homem. Seus sintomas são confundidos com os de outros problemas. Após um infarto, a recuperação é mais lenta; as mulheres sofrem mais de depressão, doença que também compromete a recuperação da paciente.

Já é comprovado que mulheres fumantes sofrem de subfertilidade. Em mulheres grávidas, os efeitos da ingestão de monóxido de carbono e da nicotina são sentidos em poucos minutos, ocorrendo uma aceleração nos batimentos cardíacos por parte do feto.

Muitas mulheres ainda não sabem que as doenças cardíacas matam mais do que o câncer de mama, doença com a qual a maioria se preocupa muito, e o melhor remédio é a prevenção. Evitar sedentarismo, obesidade, hipertensão, colesterol elevado, diabetes e não fumar são medidas práticas.