Blog do Coração


Glutamato monossódico associado à Síndrome Metabólica

O glutamato monossódico, ou E621, ou extrato de levedura, é um aditivo alimentar que funciona como intensificador de sabor, ou seja, deixa os alimentos mais saborosos e está presente em elevada quantidade nos alimentos industrializados, como caldos de carne e de peixe artificiais, sopas instantâneas, hambúrgueres congelados, salsichas e muitos outros. Basta procurar estes nomes nos rótulos.

Estudo, publicado na revista científica Nutrition and Metabolism, mostra que o consumo de glutamato monossódico está associado ao aumento da obesidade, resistência à insulina e a outras características da Síndrome Metabólica. Os investigadores descobriram que as pessoas que consumiam mais glutamato monossódico eram as que apresentavam mais peso e mais resistência à insulina. Essa associação foi encontrada, independentemente da ingestão calórica e do exercício físico praticado pela população estudada.

Por ser um composto que realça o apetite, a primeira reação foi pensar que a obesidade fosse consequência do maior consumo alimentar, pois o glutamato monossódico, ao realçar o sabor dos alimentos, facilitaria o aumento da ingestão. Porém os investigadores levaram em conta essa variável e concluíram que o efeito é mesmo do composto.

O glutamato monossódico, assim como outros compostos como o bisfenol A, estão na categoria de compostos obesogênicos, ou seja, que induzem obesidade, independentemente do consumo calórico ou do gasto energético da pessoa.

Por isso, olhe os rótulos cuidadosamente, pois este aditivo pode estar sendo  consumido em quantidade exagerada, dificultando a perda de peso.

Por: Regina Pereira – Diretora do Departamento de Nutrição da SOCESP