Blog do Coração


Para combater a obesidade são necessárias ações efetivas dirigidas às crianças

O Dr. José Francisco Kerr Saraiva foi presidente da vigésima quarta edição do congresso, membro da diretoria gestão 2010 – 2011 e secretário municipal da Saúde em Campinas, na edição do Congresso da Socesp de 2011, coordena a sessão de estado da arte ‘Obesidade e Doença Cardiovascular’ e fala sobre o assunto.

“A obesidade é o principal problema de saúde pública do mundo ocidental e porta de entrada para importantes fatores de risco, como hipertensão, diabetes e, consequentemente, aterosclerose”, enfatiza o médico.

Hoje, há uma polêmica quanto ao uso de medicamentos para combater a obesidade, que inclusive foram abolidos em alguns países. O Dr. Saraiva acredita que esses medicamentos são ineficazes, primeiro, porque não atuam na prevenção da doença, segundo porque muitas pessoas emagrecem ao tomar o medicamento, mas voltam a engordar assim que param. Além disso, essas drogas têm muitos efeitos colaterais, incluindo o aumento do risco cardíaco.

Outra alternativa para a obesidade é a cirurgia bariátrica que, segundo médico, tem seu espaço, mas não é totalmente efetiva, é um procedimento de risco, às vezes, paliativa e mutilante.

“A grande arma contra a obesidade é a prevenção”, alerta o médico. No Brasil, 50% da população tem sobrepeso ou é obesa. A Sociedade precisa encarar o problema de frente e já. É preciso começar um trabalho com crianças e jovens focado na divulgação de hábitos saudáveis de alimentação, no estímulo à atividade física, no envolvimento de pais e responsáveis na promoção da saúde e na oferta de uma merenda saudável na escola.

“O problema é mais embaixo, não adianta desenvolver novos medicamentos, se não são realizadas ações efetivas direcionadas à infância”, enfatiza o médico que alerta: “Estudos comprovam que dieta saudável, não fumar, não beber ou beber moderadamente e atividade física regular reduzem em 75% o risco de desenvolver doença cardiovascular no futuro”.