Blog do Coração


Efeitos de pequenas quantidades chocolate meio amargo sobre a pressão arterial

A literatura médica tem publicado grande quantidade de artigos que mostra o benefício de alguns alimentos para saúde. Dentro deste contexto, tem sido mostrado que dieta rica em frutas e vegetais, com alimentos ricos em polifenóis, reduz a pressão arterial.

Mais recentemente, foi aventada a hipótese que o cacau poderia ter benefício para hipertensão, já que possui uma classe de polifenóis, os flavonóides, que reconhecidamente, tem propriedades antioxidantes. Um dos mecanismos propostos para estes polifenóis é o aumento da produção de óxido nítrico, com ação de dilatação arterial. No entanto, existe a preocupação com a quantidade de derivados do cacau consumido, uma vez que este possui alto valor energético e os demais constituintes presentes nas formas comerciais do cacau, como açúcar e gordura, poderiam ofuscar o benefício dos polifenóis.

Estudo realizado por um grupo de cientistas alemães, publicado em uma conceituada revista da área médica, a JAMA - Journal of the American Medical Association 2007;298(1):49-60; Taubert D., Roesen R., Lehmann C. et al, Departments of Pharmacology and Internal Medicine University Hospital of Cologne, Cologne, Germany , pode abrir uma perspectiva mais saborosa para a complementação da terapia anti-hipertensiva.  Neste estudo, os autores demonstraram que o consumo de pequenas doses diárias de  chocolate meio amargo (chocolate com menor porcentagem de leite na sua constituição) reduziu a pressão arterial e melhorou a função endotelial.  Neste estudo, quarenta e quatro adultos, com hipertensão leve ou  em estágio 1, na ausência de outros fatores de risco, foram sorteados para receberem 6,3 g de chocolate meio amargo/dia (equivalente a um tablete, contendo 30 mg de polifenóis) ou o equivalente de chocolate branco (que não possui polifenóis), como placebo. O tratamento foi realizado por 18 semanas.

Os resultados obtidos mostraram que no grupo de indivíduos tratados com chocolate meio amargo houve redução da pressão arterial sistólica de 2,9 mmHg e diastólica de 1,9 mmHg, sem qualquer alteração no peso corpóreo, níveis plasmáticos de lipídios ou glicose. A redução de pressão arterial foi acompanhada de uma elevação sustentada de oxido nítrico e de polifenóis do cacau no plasma. O consumo de chocolate branco não provocou mudanças na pressão arterial ou nas dosagens de polifenóis plasmáticos dos pacientes.

Os autores concluíram que nesta amostra pequena de indivíduos saudáveis, com níveis discretamente elevados de pressão arterial, a adição de quantidades pequenas e diárias de chocolate meio amargo, rico em polifenóis, reduziu a pressão arterial, provavelmente por induzir a produção de óxido nítrico, não promovendo alterações no peso corpóreo, níveis glicêmicos ou de lipídios.

Este é o primeiro estudo que demonstra efeitos de redução de pressão arterial com chocolate meio amargo. A quantidade utilizada foi de apenas um tablete ao dia, o que não provocou efeitos nos níveis glicêmicos, colesterol ou peso corpóreo. No entanto, este estudo é preliminar e não devemos encarar o chocolate meio amargo como um medicamento ou substituto da medicação em uso.

A utilização de uma dieta adequada é fundamental, junto com outros hábitos saudáveis, como não fumar, pratica de exercícios físicos e um rígido controle dos níveis glicêmicos, de colesterol e pressão arterial. Um tablete de chocolate meio amargo ajuda a adoçar esta fórmula.

Por: Dr. Pedro Farsky, diretor da SOCESP na gestão 2010 - 2011.