Blog do Coração


Estresse e outros fatores podem levar a doenças do coração

Além dos fatores de riscos já conhecidos para doenças cardiovasculares, como diabetes, hipertensão arterial, sedentarismo, tabagismo entre outros, aspectos como perfil psicológico, estresse, fatores psicossociais também têm sido associados ao desenvolvimento de doenças do coração. Cada vez mais, existem evidências científicas de que fatores psicossociais contribuem para o desenvolvimento de doença cardiovascular.

Em adição ao risco do primeiro evento cardiovascular, os fatores psicossociais podem piorar o prognóstico de indivíduos portadores de doença coronariana, pois podem ser barreira para aderência terapêutica e para mudanças no estilo de vida. A depressão pode ser um fator de risco para doença cardiovascular e também pode estar associada com maior risco de mortalidade e acidente vascular encefálico.

O mecanismo fisiopatológico dos fatores psicossociais na doença cardiovascular permanece incerto. Pesquisas mostram a importância da inflamação na precipitação de eventos cardiovasculares. Fatores psicossociais podem estar associados a comportamentos predisponentes à inflamação, como tabagismo, sedentarismo e ingestão alcoólica.  Em adição, fatores psicossociais estão relacionados com obesidade e aumento de açúcar no sangue.

Alguns estudos sugerem que a exposição a fatores estressantes do cotidiano tem influência nos níveis de pressão arterial, assim quanto maior o nível de estresse, maior o risco de elevação dos níveis pressóricos.
Por tudo isso, é importante desenvolver um estilo de vida saudável que inclui alimentação balanceada, atividade física regular, não fumar e combater o estresse emocional.

Por: Dra. Carolina Mizacci